domingo, 28 de dezembro de 2014


 Os Pássaros do Senegal 

Alados nos versos santos,
a grande viajem empreenderam
pelos íngremes caminhos
que conduzem à liberdade.
Na aldeia ficaram seus amores, sua história
e a imagem translúcida esguia
de sereno semblante, qual gazela
na janela da eternidade, ante o arrebol
que se funde ao misterioso Sahel.
Áspera é a mão da realidade.
Eis os belos seres esculpidos no ébano do sagrado,
enleados nas sedas das boas novas.
Os pássaros do Senegal estão chegando.
Dakar e o mar testemunham 
o silêncio dos que partem,
na bagagem o lume de uma cultura
de milenar encanto e um desejo velado de,
quiçá um dia, conquistar a honra de sentar à mesa
do grande gastrônomo Mamadou Sène.
Enviar um comentário